Escolas públicas terão campanha de saúde

Diversas são as matérias que os estudantes têm em sua carga horária para compor um currículo que abrange a preparação necessária para cursar um ensino superior. Um dos assuntos que irão fazer da vida de quem estuda é fundamental; a saúde. As escolas públicas começarão a participar de uma campanha que abordará os cuidados com a saúde.

A partir desse ano, as escolas terão ações que promovam a saúde através de vacinação e promoções da área. O edital de programa Saúde na Escola foi aberto e contém novas regras. Haverá uma atualização no calendário de vacinas dos alunos e ações de conscientização que promovam a saúde como prevenção à obesidade, cuidados com a saúde bucal, auditiva e ocular, incentivo à atividade física, combate do mosquito Aedes aegypti e prevenção de doenças sexualmente transmissíveis.

O conjunto de estratégias para promover essas ações faz parte de uma iniciativa do governo federal. Essa proposta faz parte de uma parceria do Ministério da Saúde com o Ministério da Educação. Existe uma portaria que determina que 12 ações sejam realizadas pelos gestores em um prazo de dois anos e que foi assinada pelos ministros da Saúde, Ricardo Barros e da Educação, José Mendonça Filho.

Serão destinados para incentivo da campanha R$ 89 milhões que serão usados em recursos que serão transferidos em parcela única. Em uma declaração, o Ministro da Saúde diz: “É de livre adesão o programa. Portanto, faço aqui um apelo aos prefeitos, governadores, diretores de escolas e professores que façam adesão ao programa para que possamos ter o máximo de integração entre saúde e educação em benefício de todas as crianças brasileiras”.

Haverá o envolvimento de mais de 32 mil equipes de atenção básica que atuarão em mais de 4.787 municípios. Essas equipes já têm experiências em atuar em escolas promovendo a saúde. Os municípios terão uma adesão que está relacionada com as escolas e não com os níveis de ensino como anteriormente. Nesse edital, o valor dos recursos também é outra mudança que ocorre, pois haverá uma distribuição de recursos 2,5 vezes maior que nos anos anteriores.

Segundo o ministro: “As metas são estabelecidas na adesão. Cada escola faz a sua. Vamos adiantar o dinheiro do primeiro ano. Se não houver o cumprimento do acordado na adesão, não haverá o repasse do segundo ano. Mas faremos todo um esforço para que, ao máximo, as escolas cumpram as 12 metas”.

A meta é alcançar 144 mil escolas e atingir um número recorde de estudantes através do monitoramento mensal. O “Saúde na Escola” atua em 79 mil unidades escolares e alcança aproximadamente 18 milhões de alunos. Uma das metas obrigatórias do programa é a atualização de vacinas dos estudantes. A rede pública de vacina conta com mais de 19 vacinas para 20 tipos de doenças.

 

 

Author: VLBrazil