Marcio Alaor, do BMG, reporta os dados do mercado de trabalho no Brasil em abril

Segundo dados divulgados pelo Ministério do Trabalho em meados de maio, o Brasil abriu quase 60 mil vagas de trabalho com carteira assinada no quarto mês de 2017. No acumulado dos quatro primeiros meses do ano, o saldo ainda é negativo.

Os altos índices de desemprego têm sido um grande problema para a economia brasileira nos últimos meses. De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o Brasil tem mais de 14 milhões de desocupados atualmente. Porém, como noticia o empresário e vice-presidente do Banco BMG, Marcio Alaor, os números referentes ao mercado de trabalho em abril foram positivos, embora ainda bastante tímidos.

Segundo dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgados pelo Ministério do Trabalho na terça-feira, dia 16 de maio, foram criados 59.856 postos de emprego formal no Brasil no quarto mês de 2017. Em números mais detalhados, abril teve 1,081 milhão de demissões, enquanto as contratações chegaram a 1,141 milhão. Tanto em 2016 quanto no ano anterior, os dados referentes ao quarto mês do ano tinham sido negativos, reporta Marcio Alaor do BMG. O último bom resultado de abril tinha sido em 2014, quando 105 mil postos de emprego foram abertos.

No acumulado dos quatro primeiros meses de 2017, o saldo ainda é negativo, pois aconteceram 933 demissões a mais que o total de admissões. Já em relação aos últimos 12 meses, os números são bem piores. De maio de 2016 a abril deste ano, o Brasil perdeu 969.896 postos de emprego com carteira assinada.

Na análise do mercado de trabalho brasileiro em abril de acordo com os setores, o empresário do BMG, Marcio Alaor informa que apenas um teve perda de vagas. Foi a construção civil, que teve 1.760 demissões líquidas. Já o melhor resultado entre todos os setores foi dos serviços, com um total de 24.712 vagas de trabalho formal abertas. A agropecuária, que abriu 14.648 postos foi a responsável pelo segundo melhor índice.

A indústria de transformação, com 13.689 vagas criadas no quarto mês de 2017, e o comércio, responsável por 5.327 novos empregos, aparecem em seguida, cita Marcio Alaor do BMG. O vice-presidente do Banco BMG noticia ainda que a administração pública (2.287) e o setor de extração mineral (263) também obtiveram números positivos em abril.

Em relação à distribuição do total de 59.856 vagas abertas de acordo com as regiões do país, nota-se que os resultados foram bem melhores no Centro-Sul. O Sudeste, por exemplo, foi responsável por mais de dois terços do resultado, com 46.039 postos de emprego formal abertos em abril. O segundo melhor dado foi obtido pelo Centro-Oeste, que abriu 10.538 vagas. Em seguida aparece o Sul, onde foram registrados 5.537 novos postos de trabalho. No caso do Norte e do Nordeste, os dados foram negativos, com perda de 1.139 e 1.119 vagas no quarto mês de 2017, respectivamente.

No que se refere aos estados, o executivo do BMG, Marcio Alaor, informa que o melhor resultado foi o de São Paulo, com 30.227 novos postos de emprego criados em abril. Ou seja, o maior centro econômico brasileiro concentrou mais de 50% do total de vagas abertas em todo o país.

Outro estado com bom resultado foi Minas Gerais, com 14.818 novos postos de emprego criados no quarto mês de 2017. Bahia (7.192), Goiás (7.170) e Paraná (6.742) também obtiveram bons índices. O pior dado foi o de Alagoas, que perdeu 4.008 vagas. Rio Grande do Sul (-3.044) e Rio de Janeiro (-2.554) também apresentaram números ruins.

 

Author: VLBrazil