Medidas para evitar notícias são tomadas por Google e Facebook

As duas principais empresas que têm grande poder de influenciar vários internautas ao redor do mundo começaram a detectar a disseminação de notícias falsas através de suas páginas na internet. Muitos resultados que aparecem como relevantes nas buscas tinham uma procedência que não era verídica, o que contribuía para manipular e influenciar as pessoas de acordo com interesses econômicos.

Ações do Google estão começando a impedir que notícias ou conteúdo com a intenção de enganar esteja nos resultados principais em seu mecanismo de pesquisa. Uma das principais maneiras de parar o crescimento de notícias falsas é adotar a exibição de avisos quando um usuário visualizar uma notícia falsa, e se caso ele queira clicar nela saberá que existe um conteúdo verificado para aquele mesmo assunto que está isento de informações maliciosas.

Outra estratégia que está sendo colocada em prática é o bombardeamento de rentabilidade de conteúdo falacioso. Tanto o Facebook quanto o Google que concorrem nas mesmas áreas de publicidade na internet, já sabiam que o problema já existia, mas só começaram a combatê-lo a partir do ano passado devido às acusações de que o Facebook estaria permitindo a circulação de notícias fake que teriam influenciado e causado um impacto negativo nas eleições presidenciais de 2016 nos EUA, enquanto o Google de exibir resultados relevantes com conteúdo enganoso.

O Google começou a banir sites que tem um propósito de divulgar alguma informação que possa levar o leitor a uma conclusão equivocada por influências de notícias que “falsificam, distorcem ou ocultam informações sobre editores, o conteúdo do editor ou o propósito primário da propriedade da web”. Todas as vezes que um anúncio ou uma página é identificada com um conteúdo com informações indevidas, ela fica impedida de ser propagada através da publicação de anúncios.

Outro recurso que está na estratégia do Google é o YouTube, pois no site muitos vídeos com conteúdo enganoso poderiam estar levando várias pessoas a tomar conclusões errôneas, esses vídeos não terão a possibilidade de veicular anúncios. Ainda que essa medida possa afetar de certa maneira a rentabilidade do site que se baseia em 90% em publicidade.

O Google Home é uma das apostas da empresa no ramo de eletrônicos que foi prejudicado por espalhar informações confusas. O aparelho tem a função de gerenciar diversos dispositivos domésticos inteligentes, através de um assistente virtual que é capaz de responder perguntas e executar tarefas apenas com a voz do usuário.

Quando uma pessoa perguntava para o Google Home se o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pretendia dar um golpe de Estado, a resposta era positiva e ainda trazia detalhes: o golpe seria realizado com a ajuda de membros comunistas da China. Caso uma pessoa quisesse investigar o passado criminoso de algum presidente dos Estados Unidos com a seita Ku Klux Klan, o buscador gerava resultados precisos com nomes de presidentes.

No Brasil, a estratégia do Facebook em relação aos anúncios com notícias falsas será reduzir de forma significativa o alcance das postagens até que elas sejam impedidas de serem veiculadas.

 

 

Author: VLBrazil