Ministra do TSE, Luciana Lóssio, representou o Brasil na XI Reunião Interamericana de Autoridades Eleitorais no México

A ministra do TSE, Luciana Lóssio, participou da XI Reunião Interamericana de Autoridades Eleitorais como representante do Brasil.

O evento, que já está na XI edição e visa à troca de informações sobre o exercício eleitoral no continente Americano, aconteceu na cidade do México e contou com muitas presenças ilustres. Foram 23 países que, através de seus representantes, dividiram experiências e conhecimentos sobre processo eleitoral e o exercício da Democracia em cada país membro.

O sistema eleitoral mexicano é um exemplo de eficiência, destacando-se entre os diferentes países do mundo por seu excelente sistema de informatização e pela forma de prestação diária das contas dos candidatos nas campanhas eleitorais. A forma de prestação de contas eleitorais do México servirá como base de referência para aperfeiçoar a forma de prestação de contas eleitorais no Brasil.

A jovem representante do Brasil nesta importante reunião também é Presidente da Associação de Magistrados Eleitorais da Íbero – América, e atua como Conselheira do Conselho Nacional de Direitos Humanos.

A Ministra Luciana Lóssio é tida como uma das figuras mais renomadas e dona de uma larga experiência no Direito Eleitoral do Brasil. Ela foi nomeada para a vaga como advogada, tendo sido a primeira mulher a assumir neste Ministério. O seu primeiro ingresso no Tribunal Superior Eleitoral foi como Ministra substituta e aconteceu em 2011, tendo permanecido assim até 2013. Logo depois foi nomeada como Ministra titular e, com isto, passou ser a primeira mulher a assumir um cargo como este dentro do TSE. Ela aprendeu com o pai, João Lóssio, a defender os pobres e vulneráveis e é uma defensora da inclusão feminina na vida política do país. Segundo a União Interparlamentar, Organização internacional que controla os parlamentos dos Estados, a representação política da mulher no Brasil ainda é pequena. Esta realidade levou o TSE a incentivar a percepção das pessoas sobre a importância de mais mulheres participarem ativamente da política. A ministra Luciana Lóssio, forte defensora da participação feminina nos diferentes cargos políticos, acredita que este cenário está mudando. De acordo com sua análise, debates e conversas informais entre familiares e amigos estão acontecendo com mais frequência, mostrando que a ideia já foi plantada na consciência das pessoas.

Existe, no Brasil, uma cota mínima de 30% de representatividade feminina para cada Partido Político e o cumprimento desta norma é fiscalizado de perto pelo TSE. Porém, infelizmente, alguns partidos ainda não estão destinando este percentual mínimo exigido.

A Ministra Luciana Lóssio é graduada pelo Centro Universitário de Brasília (UniCEUB), fez especialização na Universidade Anhanguera e na Fundação Escola Superior do Ministério Público.

Membro do Instituto Brasileiro de Direito Eleitoral (Ibrade), Luciana Lóssio possui algumas publicações importantes dentre os quais podem ser citados o artigo “Infidelidade Partidária para cargos majoritários – Análise de um caso concreto” e, junto com alguns autores, lançou um livro intitulado “Direito Eleitoral – Aspectos materiais e processuais”. O livro, que foi escrito por 44 autores, foi lançado pela Editora Migalhas e consiste em 37 artigos distribuídos em 638 paginas e trata sobre Direito Eleitoral.

 

Author: VLBrazil