O uso de pesticidas causa impactos na vida das abelhas selvagens

Resultado de imagem para O uso de pesticidas causa impactos na vida das abelhas selvagens

 

A equipe que observou as abelhas selvagens capturados no campo Inglês, relatou que o inseticida tiametoxam, reduz o desenvolvimento do ovo em abelhas rainhas. Eles dizem que isso é suscetível de reduzir as populações de abelhas até o final desse ano. O tiametoxam, é um dos três inseticidas neonicotinóides atualmente restritos para utilização pela União Europeia.

Eles foram restringidos em meio a preocupações sobre o seu impacto sobre as abelhas selvagens.

O estudo, publicado em Proceedings da Royal Society B, investigou o impacto do tiametoxam em quatro espécies de abelhas rainhas, que tinham sido capturadas na natureza durante a primavera. Os efeitos do inseticida em níveis considerados semelhantes aos encontrados na natureza, foram investigados em laboratório.

Após duas semanas de exposição, duas das quatro espécies de abelhas, consumiram menos alimento. Houve efeitos sobre o desenvolvimento do ovo em todas as quatro espécies. “Constantemente, constatamos que a exposição a neonicotinóides em níveis que imitam a exposição que as rainhas podem experimentar em paisagens agrícolas, resultou na redução do desenvolvimento de ovários em todas as quatro espécies testadas”, disse Gemma Baron, da Royal Holloway University de Londres.

Os impactos da exposição dos neonicotinóides ao comportamento alimentar, foram específicos de uma espécie, com duas de cada quatro espécies comendo menos néctar artificial quando expostas ao pesticida. “Estes impactos são susceptíveis de reduzir o sucesso de abelhas rainhas na primavera, até a sua população ser extinta”.

Os cientistas dizem que o trabalho fornece “um grande passo em frente” na compreensão do impacto dos neonicotinóides em abelhas selvagens – tanto em geral e em espécies específicas.

Dizem que as abelhas rainhas não são consideradas atualmente em avaliações do risco do pesticida para insetos polinizadores.

O professor Mark Brown, da Royal Holloway University de Londres, disse: “Estudos futuros em diferentes espécies são susceptíveis de demonstrar uma maior variação no impacto dos neonicotinóides, e a realização de tais estudos deve ser uma prioridade para cientistas e governos”.

Os zangões são insetos sociáveis, vivendo em colônias. Quando as rainhas surgem no início da primavera, tendo passado o inverno hibernando sozinhas, eles saem em busca de comida e de um lugar para aninhar. Eles são susceptíveis de ser expostos a pesticidas através das flores em áreas agrícolas.

Cada rainha forma seu próprio ninho, põe seus ovos e produz algumas centenas de trabalhadores. No final da temporada, os machos e rainhas novas eclodem, então emergem do ninho para ir em busca de um companheiro.

Apenas rainhas fertilizadas passam a hibernar, depois de se alimentar fortemente de pólen e néctar para acumular reservas de gordura. Os zangões estão em declínio global, devido às ameaça dos patógenos, à perda do habitat e aos pesticidas.

Veja mais sobre a possível extinção das abelhas.

 

Author: VLBrazil