R$ 150 milhões estão disponíveis para pesquisas e tecnologias na área Saúde

Uma parceria firmada entre o Ministério da Saúde e a Embrapii – Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial, possibilitou que fossem destinados R$ 150 milhões para pesquisas com o foco no desenvolvimento tecnológico e tratamentos, diagnósticos e aplicação de formas mais efetivas de prevenção de doenças. Serão levados em contas as principais necessidades do SUS – Sistema Único de Saúde, e que irão abrir as portas para que a competitividade neste setor industrial possa acontecer com mais impacto econômico positivo para o país.

A assinatura do contrato foi firmada por Ricardo Barros, atual ministro da Saúde; por Gilberto Kassab, ministro de Ciências, Tecnologia, Inovação e Comunicação; e por Jorge Guimarães, diretor-presidente da Embrapii. Os recursos deste investimento também irão favorecer institutos de pesquisas e 42 universidades em todo o país que estão ligadas à Empresa Brasileira.

De acordo com Ricardo Barros, quando acontecem investimentos em novas pesquisas voltadas para a área da saúde, novos medicamentos que poderão tratar vários tipos de doenças acabam surgindo no mercado, também permitindo a introdução de novos procedimentos que irão facilitar os tratamentos já existentes com novas tecnologias.

“Estamos tratando de um grande desafio, que é permitir que os pesquisadores e empresários possam produzir essas funções tecnológicas para que todos nós possamos viver bem com os recursos que os SUS disponibiliza”, afirma Barros.

Serão possíveis várias ações em conjunto com a parceria firmada entre o MEC – Ministério da Educação, a Emprabii e o MCTIC – Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação, que irão possibilitar a implantação de mais pesquisas e tecnologia ao longo dos anos.

“Fortalecer o setor com o desenvolvimento de tecnologias traz inúmeros ganhos: o econômico, à medida que o investimento pode reverter a situação da balança comercial; e o social, já que possibilita a ampliação do acesso e a melhoria da saúde pública”, explica Jorge Guimarães, presidente da Embrapii.

O SUS atualmente têm mais de 900 mil pessoas aguardando cirurgias eletivas, e a implantação de novas pesquisas e tecnologias irão reduzir em muito esta fila de espera. A medida que as pesquisas vão evoluindo e novas tecnologias vão sendo implantadas, a rede pública de saúde se fortalece e possibilita atendimento mais digno a população.

 

 

Author: VLBrazil